Santiago, o regresso…

Mais imagens aqui
Mais imagens aqui

Se fazer os caminhos de Santiago a pé com uma mochila às costas já simbolizava uma ideia meio absurda enquanto ideia de “Férias”, repetir o caminho já parece masoquismo. Todavia, quem já o fez, geralmente repete, o que será apenas compreensível para quem já experimentou e viveu a experiência em “presença”.

Este ano desafiámo-nos ainda mais ou a vida desafiou-nos mais ainda.

Na verdade, o facto de nos termos desdobrado em 2, perfazendo um total de 8 mulheres fez com que questões que se relacionam com dinâmicas de grupo surgissem. Ritmos diferentes, feitios diferentes, necessidades diferentes, objetivos diferentes. Ainda que todas diferentes, todas o mesmo. 🙂

Todas sentiram o caminho de forma intensa e todas retiraram dele lições valiosas. Por sermos só mulheres, inevitavelmente, formámos um círculo de cura (em potencial) do sagrado feminino, mais consciente numas e mais longínquo noutras. As repercussões desse trabalho de cura ecoarão longe, quiçá, na eternidade. 🙂

O que cada uma sentiu fica consigo e apenas consigo, ainda que o caminho tenha sido partilhado.
Para as que regressaram este ano, a jornada tornou-se mais dura; para umas em termos físicos, para outras em termos emocionais.
Para as que se estrearam, houve leveza surpreendente e/ou peso libertador, um bocadinho de cada consoante os desejos, as necessidades e as expectativas. Em ambos os casos, as asas abriram e o caminho rente ao chão tentou enraizá-las.

Um mau feitio aqui, um mal estar ali, banhos de água fria, uma molha com algum jeito, bolhas nos pés, roupa encharcada, calcanhares de Aquiles reais e metafóricos, ombros bloqueados… e consciencializações. Um banho de emoções.

Quem disse que regressamos sempre felizes dos caminhos engana-se, por vezes, vimos atordoados/as, magoados/as e tristes. Aquilo que seja necessário para continuarmos a verdadeira caminhada, a da vida, porque na vida também há altos e baixos, subidas e descidas, curvas e contra-curvas, abandonos e desilusões, medos e bloqueios.

Até houve quem fizesse 5 kms a mais por engano. (2,5 por engano e os outros 2,5 para voltar).

Que façamos sempre o caminho com força e beleza no coração.
A tranquilidade a nós virá.

Bom caminho para todos/as os/as corajosos/as.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s