Meditação, bicho de 7 cabeças?

DSC_0011

(Desmistifiquemos… Simplifiquemos…)

Muito se fala sobre meditação!
Para além de estar na “moda”, remete para a realidade dos monges e mestres de Yoga levitantes e mitos de transcendência e “iluminação” a eles associados.

CALMA, não é necessário colocares a perna atrás do pescoço ou levitares para praticar meditação… basta que observes, em atenção plena, a tua respiração – “âncora” fundamental para colocar a MENTE no momento PRESENTE (no agora!) 🙂.

A causa do sofrimento humano… da manifestação da ignorância existencial gera-se na “indisciplina” da mente. A mente que mente… ConstanteMENTE; EgoicaMENTE; CriativaMENTE; InteligenteMENTE; CruelMENTE; AmorosaMENTE; PositivaMENTE… Falamos aqui de estados mentais, de perspetivas e percepções que adoptamos em relação AO QUE É.

Vejamos no dicionário…

men·te (latim mens, mentis, inteligência, alma) substantivo feminino

1. Parte do ser humano que lhe permite a atividade reflexiva,cognitiva e afetiva = ENTENDIMENTO, ESPÍRITO, INTELECTO, PENSAMENTO

2. Armazenamento de experiências vividas. = MEMÓRIA, LEMBRANÇA

3. Disposição de espírito.

4. Aquilo que se pretende fazer. = INTENÇÃO, INTUITO, PENSAMENTO, PROPÓSITO, TENÇÃO

5. Maneira de compreender ou imaginar o mundo. = IMAGINAÇÃO, PERCEPÇÃO

“mente” in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013,http://www.priberam.pt/dlpo/mente[consultado em 26-11-2015].

Se não estiveres plenamente consciente no momento “presente”… a mente “mente-te” sobre o teu amanhã, recorre a memórias do passado e associa-se “ilusoriaMENTE” a situações do presente.
É isto que causa sofrimento – a especulação constante e a exacerbação dos medos associados a esses quadros especulativos…. Biliões de pensamentos e emoções assaltam-nos e escravizam-nos! A necessidade de comparação é uma ameaça constante. Podemos, por exemplo, estar a sentir uma elevada auto-estima (poder pessoal) até nos vermos confrontados com alguém que, por alguma razão nos parece muito mais maravilhoso, inteligente, bonito, criativo e interessante do que nós. Essa comparação poderá influenciar negativamente a auto-estima prévia a esse encontro ou a essa comparação – aposto que isto também já te aconteceu, certo?
A comparação da nossa vida com a vida dos outros (e daquilo que supostamente achamos que deveríamos ter e ser) será, assim, uma grande flecha venenosa no nosso quotidiano.
Apetece dizer: “Mete-te na tua vida”, evita comparações.

Outro desafio é o medo do que os outros pensam sobre nós. Neste caso, podemos dizer também: “Mete-te na tua vida” porque aquilo que os outros pensam de ti não é da tua conta e só te faz mal. Conhece-te a ti mesmo(a)… este é o único caminho para encontrar e sentir a felicidade que já és!
Se tiveres vontade de criticar ou julgar os outros, a sugestão é a mesma: “Mete-te na tua vida” e observa que aquilo que criticas mostra um pedaço de quem tu és e algo que não aceitas em ti. Ahhh pois é!!!

A meditação surge então como algo recomendado pelos grandes mestres, gurus, life coaches, psicólogos, terapeutas, filósofos, médicos, cientistas, etc…

Atenua o poder do passado (libertando-nos do tempo e do que ele nos assusta); eleva a frequência da tua consciência; reduz a ansiedade face ao futuro; reduz a atividade mental produzindo sensações de tranquilidade e bem-estar; melhora a qualidade do sono; aumenta a nossa resistência aos desafios e às vicissitudes com que nos deparamos; nutre a compaixão por nós mesmos e em relação aos que nos rodeiam, desenvolvendo a capacidade de empatia e de compreensão humilde do outro; permite desenvolver a aceitação e a rendição face ao que surge no nosso dia-a-dia; reduz o stress e sintomas psicossomáticos a ele associados; aumenta a sensibilidade; fertiliza a criatividade; atenua problemas de saúde vários; desenvolve a auto-estima e a inteligência emocional (a lista continua…).

A meditação pode ser realizada de inúmeras formas e através de muitos métodos diferentes – uma delas já foi sugerida em cima… traz a tua atenção plena à respiração e mantém-te aí… Não tem de ser em posição de sentado/a; não tem de ser em silêncio (pode ser com música ou sons curativos ou eventualmente guiada); não há cessação dos pensamentos (mito)… apenas te deixas de identificar com eles…; não temos obrigatoriamente de meditar de olhos fechados; não temos de estar quietos (podemos fazer meditação em movimento).

Experimenta vários métodos e escolhe a tua forma de meditar 🙂 – começa HOJE!! Meditar implica presença, consciência, acalmar, aceitação (inclusive dos pensamentos que vão surgindo enquanto meditamos), implica essencialmente prestar ATENÇÃO, regressar ao corpo, à respiração, ao sentir (ao “coração”).

A meditação não é um meio, é um fim em si mesmo que – quando praticada deVIDAmente – só nos traz benefícios. Começa por parar e prestar atenção à respiração. Respira devagar… repara no que acontece no teu corpo durante o processo de inspiração e expiração. Se nunca experimentaste, começa por fazer isto durante 10 minutos por dia e sente… Um dos conceitos associados à meditação é o da contemplação. Outra definição usual refere um “REGRESSO ao centro”… Regresso ao teu estado original de plenitude (Sat-Chit-Ananda).

Assim sendo… avança para o primeiro passo…

CONTEMPLA-TE!
CONTEMPLA A TUA RESPIRAÇÃO!
CONTEMPLA O MUNDO!
CONTEMPLA O TEU CORPO!
REGRESSA A TI!

“METE-TE NA TUA VIDA” E “APODERA-TE” DELA 😉

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s