Pizza vegan

dsc_8971-web

Ingredientes:

Base de pizza de trigo integral (adquirida em supermercado biológico)

Molho para a base:
Diospiro (1)
Pimento laranja (5 ou 6 tiras)
Nabo (1/2)
Abóbora Hokkaido (2 fatias)

Cobertura:
Brócolos
Cogumelos Shitake
Pimento laranja
Sementes de sésamo

Molho para a base:
Cozer os ingredientes e triturá-los no final

Cobrir a base com o molho à base de diospiros, pimento, nabo e abóbora. Depois de cobrir a base, rechear com brócolos (anteriormente cozidos), cogumelos shitake (previamente demolhados), pimento laranja e sementes de sésamo.

Levar ao forno.
Sugerimos que se acompanhe com salada e laranja.

Bom apetite!🙂❤

Tarte de alho francês e tofu

dsc_8957-web

Ingredientes:

Massa:
Farinha de arroz integral
Farinha de trigo integral
Leite de arroz e coco

Recheio:
Cebola roxa (1)
Alho Francês (1)
Tofu (150 grs)
Cenoura (1/2)
Beterraba cozida (1/4)
Pesto biológico (2 colheres de sobremesa)
Gengibre (5 lascas)
Salsa (a gosto)
Sal
Azeite
Açafrão

Massa
(igual à utilizada para as empadas de tofu e couve chinesa)

Ferver meio litro de leite de arroz e coco com sal e umas gotas de azeite e quando estiver a ferver, juntar farinha de arroz integral (1 caneca de chá) e farinha de trigo integral (1 caneca de chá)… mexer até formar uma massa una (Que se junte numa bola).
Se a massa ainda estiver a pegar aos dedos e ao rolo da massa, adicionar farinha de trigo integral.
Deixar arrefecer e quando estiver morna amassá-la numa bancada com farinha integral.

Recheio:

Colocar num Wok ou numa frigideira os seguintes ingredientes (cortados em pedaços pequenos): Cebola roxa; alho francês; tofu; cenoura; beterraba; pesto; gengibre e salsa.
Cobrir com água e regar com azeite, sal e açafrão (a gosto).
Deixar apurar durante cerca de 15 minutos até que a água drene e os alimentos estejam cozinhados.

Cobrir uma taça funda com massa, encher com recheio, fechar com massa e rematar no contorno da taça de louça.
Levar ao forno até corar.

🙂❤ Bom apetite

Empadas de tofu e couve chinesa

dsc_8853-web

Ingredientes:

Farinha de arroz integral
Farinha de trigo integral
Leite de arroz e coco
Tofu
Couve Chinesa
Beterraba
Cebola roxa
Azeite

Massa:

Ferver meio litro de leite de arroz e coco com sal e umas gotas de azeite e quando estiver a ferver, juntar farinha de arroz integral (1 caneca de chá) e farinha de trigo integral (1 caneca)… mexer até formar uma massa una (que se junte numa bola). Se a massa ainda estiver a pegar demasiado adicionar farinha de trigo integral.
Deixar arrefecer e quando estiver morna amassá-la numa bancada com farinha integral.

Recheio:

Ferver água (1/2 copo) e leite de arroz (1/2 copo) com algum azeite (a gosto), meio copo de água de leite de arroz, uma cebola e beterraba (1/4). Temperar com sal e deixar apurar durante cerca de 5 minutos.
Juntar tofu aos quadradinhos (150 grs) e couve chinesa cortada em pedaços pequenos e fininhos.
Manter em lume brando durante cerca de 15 minutos.
Juntar água ou leite se necessário.

Estender a massa, cortá-la em círculos maiores do que as formas, encher as formas de massa, encher com recheio e fechar em rebuçado.

Levar ao forno!🙂❤

Bom apetite.

Antidepressivos naturais

11094755_431249887055833_88323360_n

De acordo com a Associação Americana de Psicologia, a depressão é a desordem mental mais comum. Estima-se que afete 350 milhões de pessoas, o que corresponderá a 5% da população.*1

«Some 15 million Americans a year struggle with depression, an illness that comes in many forms—from major depression and seasonal affective disorder, to dysthymia and bipolar disorder. Depression is an illness that increasingly afflicts people worldwide, interfering with concentration, motivation and many other aspects of everyday functioning. It is a complex disorder, involving many systems of the body, including the immune system, either as cause or effect. It disrupts sleep, and it interferes with appetite, in some cases causing weight loss, in others weight gain. Because of its complexity, a full understanding of depression has been elusive.»*2

As causas estão relacionadas com fatores genéticos (40%), familiares, ambientais e psicológicos, questões hormonais, química do cérebro, não esquecendo que determinados tipos de depressão se relacionam com o parto (depressão pós-parto), com a doença bipolar, com o uso de medicamentos ou drogas, experiências fortes e traumáticas ou com problemas de saúde crónicos.

Os sintomas e sinais de alarme mais comuns serão:

*Tristeza, sensação de vazio e/ou ansiedade
*Pessimismo e falta de esperança
*Sentimento de culpa e de falta de valor
*Irritabilidade
*Perda de interesse nas atividades e contextos de vida
*Fadiga e falta de energia
*Discurso lento
*Dificuldades de concentração e falta de memória
*Dificuldade em parar ou sentar-se tranquilo/a
*Insónias ou sono excessivo
*Alterações no apetite e no peso (geralmente falta de apetite e perda de peso)
*Pensamentos negativos e/ou sobre suicídio
*Dores e mal estar (geralmente dores de cabeça e problemas digestivos)
*Dificuldade na tomada de decisões
*Angústia; mágoa e sentimento de revolta
*Desmotivação geral
*Diminuição do desejo sexual
*Dores musculares

Ainda que todos saibamos de forma generalista identificar sintomas depressivos em nós ou nos outros, poucos saberão que os fármacos antidepressivos não serão a unica forma de tratar esta perturbação.

Exploremos alternativas:

*Ervas medicinais: cidreira, camomila, aveia, alecrim, lavanda e erva de S. João (esta última é a mais famosa e talvez mais eficaz mas nunca deve ser tomada no caso de tomar outros medicamentos)
*Consumir cardamomo, noz-moscada, açafrão e sementes de linhaça
*Acupunctura
*Massagens terapêuticas
*Terapia cognitivo-comportamental (mudança de pensamentos e comportamentos)
*Psicoterapia
*Meditação (acalma a mente)
*Arte (ver e criar)
*Riso
*Socializar (combate à tendência de isolamento)
*Interagir com pessoas positivas que nos fazem sentir bem e cortar o contacto com pessoas que nos criticam incitando emoções negativas
*Comer maçãs
*Acordar cedo
*Retirar substâncias que potenciam este estado emocional (álcool, tabaco, açucar refinado, drogas, gorduras, cafeína, alimentos processados e com químicos…)
*Incluir vitamina D, aminoácidos, ácido fólico, iodo, ferro, magnésio, omega 3, ácidos graxos, selénio, vitaminas do complexo B e zinco na nossa alimentação (ou suplementos)

*Exercício físico
*Jardinagem
*Voluntariado (ajuda comunitária e/ou humanitária)
*Apanhar sol
*Contacto com a natureza
*Yoga
*Escrever

*Reiki
*Aromoterapia
*Remédios homeopáticos
*Contacto com água (natação; surf, body board, banhos no mar simples, banhos de chuveiro ou de imersão, lavar a louça, o som de uma cascata ou de um rio, o som e o cheiro do mar)
*Usar roupas com cores claras e alegres, em especial o amarelo
*Consumir chocolate, tão puro quanto possível
*Vegetais de folhas verdes
*Andar a pé para apanhar mais ar fresco e sol
*Viajar e passear, ver coisas novas
*Sair da rotina
*Procurar e ver beleza
*Fazer um curso novo de qualquer coisa (música; costura; surf; fotografia; pintura)

*Fazer amigos novos
*Brincar com crianças
*Redecorar a casa
*Ouvir música, tocar instrumentos musicais, cantar
*Dançar
*Cozinhar (comida saudável) – estimula a criatividade; permite fazer alquimia pela alimentação; aquece o “coração”

*Abraçar árvores e pessoas
(a lista continua…. e continua… e continua…)

A lista nunca mais acabaria e nada disto está comprovado cientificamente. Ou quase nada.
Ainda assim, todas elas fazem bem e não têm químicos. Vale a pena alterar hábitos e ver para crer!

“Most change starts with the simple process of something outside of us altering something inside of us. If you begin the inward journey and start to change your inner world of thoughts and feelings, it should create an improved state of well-being. If you keep repeating the process in meditation, then in time, epigenetic changes should begin to alter your outer presentation—and you become your own placebo.”
Joe Dispenza, You Are the Placebo: Making Your Mind Matter

Boas práticas!

Práticas de yoga em Leiria e Lisboa (margem sul – posturas da deusa):https://www.facebook.com/Eutimia-442658409088995/
Passeios fotográficos: https://www.facebook.com/shootandwalking/
Expedições fotográficas: https://www.facebook.com/phototravel22/
Formações em fotografia: https://www.facebook.com/fotografarte.net/
Cursos de Pintura, em Leiria: http://atelierleiria.wixsite.com/atelier-artes-leiria
Cursos de cozinha macrobiótica: https://macroexotic.com/culinaria/cursos-culinaria/

Links consultados:
http://www.healthline.com/health/depression/facts-statistics-infographic#2
https://www.psychologytoday.com/basics/depression
http://despertarcoletivo.com/10-alternativas-comprovadas-no-tratamento-da-depressao/

Ilustração: Manel Cruz
Fotografia: Rute Violante
Yoga: Liliana Santos

Feijoada de tofu e couve chinesa

dsc_8829-web

Ingredientes:

Feijão manteiga
Tofu
Couve chinesa
Beterraba
Cebola
Azeite
Sal

Fazer refogado com água, cebola (1/2 cebola), beterraba (1/4 de uma beterraba inteira) e algumas gotas de azeite. Depois de deixar apurar durante cerca de 5 minutos, juntar água (cerca de meio litro) tofu aos pedaços (100 grs) e couve chinesa (metade de uma couve chinesa – folhas cortadas em três). Juntar sal e deixar ferver, mantendo em lume brando durante cerca de 20 minutos.
Enfeitar com salsa fresca.

Bom apetite❤

Fotografia: Rute Violante

Rissóis de tofu e cogumelos


Ingredientes:

Farinha de trigo integral
Leite de espelta
1/2 cebola
Cogumelos Portobello
Tofu
Azeite
Sal
Sementes de sésamo

Massa:

Levar a ferver leite de espelta (1 caneca) com algumas gotas de azeite e sal.
Quando estiver a ferver juntar farinha de trigo integral (1 caneca +/-) até que se forme uma massa una.

Recheio:

Levar 1/2 cebola ao lume com azeite e 1/4 de um copo de água.
Quando a cebola começar a ficar cozinhada, juntar tofu e cogumelos em pedaços pequeninos. Aprimorar com sal e sementes de sésamo e deixar ao lume por 15 minutos.

Rissóis:

Estender a massa, colocar o recheio…. fechar a massa e cortar em forma de meia lua.
Levar ao forno.

Bom apetite

Millet com cogumelos shitake, espargos e feijão azuki

dsc_8811-web

Ingredientes:

Millet
Cogumelos Shitake
Espargos frescos
Feijão Azuki
+
Óleo de sésamo tostado
Vinagre de arroz
Salsa
Sal

Cozer o feijão Azuki com antecedência de forma a que este fique bem cozido. (Apenas com água, sal e algumas gotas de azeite – durante cerca de 50 minutos).
Colocar os cogumelos e os espargos (cortados) ao lume num tacho com um chávena pequena de água com umas gotas de óleo de sésamo tostado e de vinagre de arroz. Adicionar sal e salsa e deixar ferver para apurar um bocadinho.
Juntar 1/2 litro de água. Deixar ferver novamente e juntar millet (1/4 da embalagem).
Juntar o feijão azuki e enfeitar com salsa.

Bom apetite.❤